Espionar quem?

Até agora ninguém percebeu o quão grave se encontra a situação da infraestrutura de internet do Brasil. A fragilidade se torna mais clara se você olhar o quadro geral e lembra que o governo FHC é quem construiu toda a infraestrutura de internet no país. Afundado nesse abacaxi, o país não tem escolha a não ser seguir as regras das operadoras que, com certeza, se beneficiam dos vários “backdoor” instalados nos diversos Hosts que compõem a grande rede.
Substituir tudo por uma infraestrutura mais segura vai custar muito dinheiro, e esse talvez seja o único obstaculo para faze-lo. Eu aposto que o país vai sair colocando remendas até que a internet esteja próximo de ser considerado aceitável, mas ao menos poderá ser feito. Enquanto isso, uma arma bem mais poderosa contra a espionagem surgi no horizonte, o Marco Civil da internet, que está para ser votado. Essa solução não vai custar um centavo, e garante punição aos envolvidos caso sejam pegos praticando espionagem ou qualquer atividade que cause danos materiais ou morais para a vítima civil ou jurídica. Estou torcendo pela sua aprovação.


 O maior problema da espionagem, que acontece sobre a proteção dos países ricos, é que ela realmente parece está sendo usada para ganhar vantagens econômicas. E o marco civil pode resolver, mas antes disso, o país vai continuar refém das espionagens não só das empresas norte americanas mas europeias também, continente que foi esquecido na denúncia pelo Herói/Patriota Snowden.

Comentários

Postagens mais visitadas